Diário de Viagem – Buenos Aires (Parte I)

Já quero começar o post me desculpando pela demora em fazê-lo, mas é que foram tantas fotos e tantos lugares que eu achei que nem conseguir. Já aviso que vou dividir em 3 partes e, ainda assim, vai ficar comprido, tá? Espero que vocês tenham paciência e curtam dar uma olhada no que eu fiz lá na Argentina entre os dias 19/12 e 24/12/2015.

Foi uma viagem planejada de última hora, pois eu não sabia se pegaria recesso no trabalho no Natal/Ano Novo, então como fiquei sabendo no meio de novembro, acabamos pagando um preço a mais por ser em cima da hora. Ainda assim não saiu absurdamente caro, então acho que se você se programar direitinho, dá até pra viajar por um preço bem bacana.

Outro motivo da demora em fazer este post é que pra mim é difícil colocar em palavras a emoção de conhecer Buenos Aires. Poderia dizer, para resumir, que a capital argentina é poesia. É paixão, é alegria, é intensidade e história. Cada detalhe de cada canto da cidade tem algo pra contar. A arquitetura antiga e clássica, inspirada na Europa misturada com a moderna e atual nos faz sentir como num filme, daqueles bem cheios de sentimento, sendo a trilha sonora ao fundo um tango. Sim, Buenos Aires é pura poesia!

Dia 01

Nosso voo saiu de Curitiba no sábado, dia 19/12, de manhã bem cedinho, seguindo para Guarulhos e daí fomos para Buenos Aires, chegando lá às 13h20min.

1

Após todo o procedimento de praxe em viagens internacionais seguimos direto para o hotel, onde almoçamos mais ou menos às 16h e decidimos fazer umas comprinhas na farmácia, com as coisas que preferimos não levar em função de volume e pra não derramar, e no supermercado, para ter umas comidinhas no hotel e na bolsa quando íamos passear. Farei outro post indicando esses lugares, ok?

Depois de deixar as coisas no hotel, fomos dar uma volta pela cidade, passando pelas ruas e avenidas mais conhecidas que ficavam próximas ao nosso hotel, como a Corrientes e a 9 de Julho, onde vimos o obelisco, símbolo da cidade.

20151220_171925

Andamos bastante conhecendo a área até chegar ao shopping mais famoso de BsAs, as Galerias Pacífico.

4 3

É muito bonito, elegante e cheio de detalhes! Recomendo ir com tempo para dar uma olhada bem com calma das paredes ao teto.

5 6

Ali as coisas não são tão baratas, pois as lojas são mais “grifadinhas”, internacionais e nacionais. Contudo, percebi que os perfumes eram mais em conta ali que no duty free, por causa do preço do dólar – mas veja bem, isso tudo depende do câmbio peso X real X dólar, então é variável, ok?

Saindo dali, andamos mais um pouco pela agradável Av. Corrientes e jantamos em um restaurante italiano nas redondezas, bem estilo cantina mesmo, cara de restaurante familiar, sabe? O Broccolino. Eu escolhi um prato bem típico de massa com muito molho, queijo e manjericão.

7

Alguns restaurantes aceitam reais e dólares além dos pesos e, às vezes, a cotação é melhor (nesse caso foi), então é sempre bom perguntar.

Dia 02

Nosso domingo começou cedinho, pois no pacote que contratamos estava incluso um tour panorâmico pela cidade, andando numa van com uma guia que ia nos passando informações em portunhol.

Rodamos bastante, vendo muitos pontos turísticos, monumentos e bosques, passando por vários bairros e entendendo melhor a história da capital argentina, com todas as suas fases importantes. Achei muito enriquecedor!

Nossa primeira parada foi na Plaza de Mayo, onde fica a Casa Rosada, que é o prédio onde funciona o Poder Executivo argentino. Mas diferente da Casa Branca, o Presidente não mora ali, apenas trabalha.

20151220_170938

Casa Rosada

20151220_102308

No entorno da praça ficam prédios com uma arquitetura incrível.

9

Um deles é o Banco de la Nación…

20151220_102456

Sim, gente… Isso é um banco. Lembrei do Gringotes e fiquei esperando sair um dragão… hahaha

Também no entorno da praça fica a Catedral Metropolitana, onde o Papa Francisco foi arcebispo. Bem diferente por fora, mas por dentro acabei não conhecendo, pois estava com um shortinho jeans curto.

20151220_102943

Dali fomos conhecer o bairro de La Boca, onde foi construído o primeiro porto da cidade, hoje abandonado, e onde fica o estádio do Boca Juniors, sabem? Mas só o vimos de longe, pois o foco do nosso passeio era o Caminito.

Ali é o cartão postal de Buenos Aires, onde a cidade começou e onde se expressa a alegria dos portenhos. Um lugar muito bacana, colorido e cheio de vida, com vários dançarinos de tango, artistas e covers do Maradona hahaha.
20151220_114016 20151220_114250

Nosso tour acabou em Puerto Madero, que foi o segundo porto da cidade, também abandonado hoje em dia, mas que foi revitalizado e se tornou o pólo gastronômico e financeiro da capital. Muitos prédios modernos contrastam com as antigas construções do porto que foram transformadas em restaurantes e lojas.

20151220_123207 20151220_123237(0)

Mesmo sem agência você pode contratar esses tours (se quiserem eu explico como) e eu acho que valeu a pena, porque tivemos bastante explicação e, caso fôssemos sozinhos, talvez não fosse tão informativo.

Almoçamos ali, em um restaurante DEMAIS chamado Patagonia Grill. Tudo maravilhoso, desde o couvert até o atendimento. Pedimos uma picanha, que vinha com um arroz com vegetais de acompanhamento. E o preço bem camarada também.

20151220_130656

Depois do almoço continuamos batendo perna, para conhecer melhor a região de Puerto Madero.

20151220_135927

Puente de la Mujer

Acabamos topando com um Buque-Museo, um museu dentro de um navio que foi utilizado . Muito interessante! Vale a pena conhecer!

20151220_142649 20151220_140143

Aí partimos rumo à Feira de San Telmo, que só acontece aos domingos e é muito famosa. E olha, entendi a razão… Tem de tudo: roupas, acessórios, coisas para decoração, souvenirs, comida, bebida e muito mais. Vale dizer que os preços não são de outro mundo, viu?

20151220_170232

Na mesma rua da feira fica um lugar que não é tão conhecido mas que eu recomendo demais, tanto pelo conhecimento que você adquire a respeito da história de Buenos Aires quanto pela arquitetura. É o Zanjón de Granados.

20151220_160636

Um lugar fascinante que foi redescoberto ao ser reformado e que conta vários períodos da cidade, com câmaras subterrâneas incríveis. A guia fala espanhol ou inglês, a depender do horário do tour. No nosso caso foi em espanhol e deu pra entender bem. Gostei muito! Um misto da história contada e da história por contar, do que se descobriu e do que ficou por descobrir, pra imaginar…

Claro que nesse ponto já estávamos cansados, então andamos até o hotel e descansamos hahaha

Logo eu trago a parte II, tá?

Gostaram?

________________________________________________________________________________

Diário de Viagem – Buenos Aires (Parte I) – é esse!

Diário de Viagem – Buenos Aires (Parte II)

Diário de Viagem – Buenos Aires (Parte III) – em breve

Dicas de Viagem – Hotel Lennox (Buenos Aires) – em breve

Dicas de Viagem – Buenos Aires – em breve

 

Comentários no Facebook

Comenta aí...